Contra injustiças, uma possível Universidade aberta

Na contramão do bolsonarismo, a academia brasileira começa a mudar de cores, origens, corpos. Como isso pode ser reparação histórica à escravidão? O que isso pode representar para o futuro dos serviços públicos? O exemplo da Unifesp

Publicado 19/12/2019 às 20:40 - Atualizado 19/12/2019 às 20:41